Porto Alegre, 11 de agosto de 2017                                              Ano 11- N° 2.561

 

Lançada a Expointer 2017

 

Foto: Jézica Bruno

Com o Theatro São Pedro lotado, a Expointer 2017 foi lançada oficialmente nesta quinta-feira (10/8), em Porto Alegre (RS). A feira, considerada a maior realizada a céu aberto da América Latina, ocorre de 26 de agosto a 3 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). A programação desta edição, que celebra os 40 anos de história do evento, conta com mais de 500 atrações, como exposição de 150 raças de animais, incluindo bovinos de leite, bovinos de corte, gado misto, entre outros. 

De acordo com o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios (Sindilat), Alexandre Guerra, o evento é de extrema importância para movimentar recursos no Estado. "A Expointer acontece em um momento importante para a economia brasileira, em que o agronegócio, além de ser a base da economia, tem criado diferenciais, tanto para o mercado interno, quanto para o externo", explica. Para o coordenador do Setor de Leite da Languiru, Fernando Staggemeier, que participou do lançamento representando o Sindilat, a edição deste ano terá expressiva participação. "Apesar da crise de importação do leite, a expectativa é boa, vai ser uma bela Expointer. Tenho certeza que todos irão participar, seja o agricultor expondo o seu animais, ou as lideranças representando as suas cooperativas", comentou.

O governador do Estado, José Ivo Sartori, também ressaltou a importância do agronegócio para a economia gaúcha. Segundo ele, a Expointer é uma "clara demonstração da pujança, da superação e do potencial do setor primário no Estado". A expectativa dos organizadores para este ano é repetir os números de 2016, quando o volume de negócios chegou a R$ 1,92 bilhão. A cerimônia de lançamento contou com apresentação do Guri de Uruguaiana, da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e do CTG Rancho da Saudade. Além disso, os cantores Elton Saldanha, Daniel Torres e Erlon Péricles interpretaram a música tema dessa edição, que trata da trajetória da feira. (Assessoria de Imprensa Sindilat) 

 

USDA provoca fortes quedas em Chicago

Divulgadas ontem, as novas estimativas do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) para oferta e demanda de grãos no país e no mundo na safra 2017/18 provocaram a queda das cotações de soja, milho e trigo na bolsa de Chicago. No mercado de soja, a principal correção "baixista" realizada foi para a produção dos EUA, que passou a ser calculada em 119,2 milhões de toneladas, mais de 4 milhões acima da previsão de julho e volume, recorde, 1,7% maior que o de 2016/17. Sobretudo a partir desse ajuste, os estoques finais globais foram elevados para 97,8 milhões de toneladas, incremento de 0,8% na comparação. 



Por causa dessa relação mais confortável entre produção e consumo, em Chicago os contratos da soja para setembro recuaram 32 centavos de dólar e fecharam a US$ 9,34 por bushel, menor valor para um contrato futuro de segunda posição de entrega desde o dia 29 de junho. No mercado de milho, a pressão sobre os preços veio dos cortes menores que o esperado para as colheitas americana e global na nova temporada - a primeira foi reduzida para 359,6 milhões de toneladas, 6,6% abaixo de 2016/17, e a segunda para 1,033 bilhão de toneladas, queda de 3,5%. Na bolsa, os papéis de segunda posição de entrega (dezembro) recuaram 15,25 centavos de dólar, para US$ 3,71 por bushel, piso desde 13 de julho. No caso do trigo, a elevação da projeção do USDA para a colheita global levou a uma queda de 18 cents dos contratos de segunda posição (dezembro) em Chicago, que fecharam a US$ 4,6875 por bushel. (Valor Econômico) 


Uruguai - Exportações de lácteos geraram US$ 313 milhões

Exportações/Uruguai - As divisas geradas com as exportações do setor lácteo chegaram a US$ 313 milhões, entre janeiro e julho de 2017, revelou o Instituto Nacional do Leite (INALE). Os preços da manteiga aumentaram 27%, e dos queijos 13%. Mas, em decorrência das queda dos volumes embarcados, o faturamento com exportações caiu 2% em comparação com o mesmo período de 2016. "Em 2017 foi exportado apenas a produção do ano em curso", diz o Inale. Nos primeiros sete meses do ano os principais destinos para os produtos lácteos uruguaios foram: Brasil, em primeiro lugar, seguido pela Rússia, Argélia, México e Argentina, mostra o boletim elaborado pelo Inale. Nesse período o preço da manteiga aumentou 27% e do queijo 13%, mas caiu o preço do leite em pó integral e do leite em pó desnatado. 

Ao comparar os preços médios recebidos pelos produtos exportados no acumulado até julho de 2017 em relação a igual período de 2016, observa-se que a manteiga aumentou 55%, o leite em pó integral 39%, o queijo 27%, e o leite em pó desnatado, 15%. Em relação a dezembro do ano passado os preços registraram os seguintes reajustes: manteiga 36%, leite em pó integral 11%, e o queijo 9%, enquanto o preço do leite em pó desnatado caiu 9%. "A pequena redução no total é consequência de que em 2016 foram exportados volumes maiores de leite em pó integral que estavam em estoque desde 2015. Em 2017 só foi embarcada a produção do ano em curso", diz o Inale. No acumulado até julho deste ano foram reduzidas as vendas de todos os produtos lácteos exportados. A maior queda foi do leite em pó integral, com 37%, a manteiga 18%, o leite em pó desnatado 15%, e os queijos 11%, diz a publicação. (Todo El Campo - Tradução Livre: Terra Viva)


Cotações oficiais do mercado holandês de lácteos (€/100 kg) - agosto de 2017

Mercado LTO - A oferta de leite permaneceu estável em maio, depois de leve crescimento em março e abril. O desempenho variou entre os países. Enquanto a Alemanha, França e também na Holanda houve declínio da produção, volumes, particularmente, elevados foram verificados na Irlanda, e na Polônia. Também ao nível mundial houve crescimento da oferta. Na Nova Zelândia, a oferta cresceu tanto em março como em abril, embora o volume tenha caído em maio. Na América do Sul, por um longo período houve declínio. Na Argentina e Uruguai a produção vem se recuperando nos últimos meses. A produção de leite nos Estados Unidos também cresceu em média de 2%. Assim como alguns meses atrás, o mercado de lácteos mostrou duas tendências diferentes. De um lado, os preços do leite em pó desnatado sob pressão, com a queda da demanda e aumento da concorrência no mercado mundial, especialmente dos Estados Unidos. Em junho, a Comissão Europeia também decidiu vender um pequeno volume dos estoques de intervenção. Por outro lado, as cotações da manteiga no mercado holandês chegaram a valores sem precedentes (acima de 600 euros por 100 kg), depois de elevações mensais contínuas. Mesmo assim o preço do leite em pó se manteve estável, sustentando, principalmente, pelos elevados preços da manteiga. (LTO Nederland - Tradução livre: Terra Viva)

 

RS: Lactalis do Brasil receberá produtores na Expointer 2017
Lactalis/RS - Dedicando atenção especial aos produtores rurais, a Lactalis do Brasil vai participar da 40ª edição da Expointer. Considerada a maior feira a céu aberto da América Latina, ocorre de 26 de agosto a 3 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), e vai contar com mais de 500 atrações, entre palestras técnicas, Feira de Agricultura Familiar, Feira de Artesanato e atrações culturais. O lançamento oficial do evento ocorreu nesta quinta-feira (10), em cerimônia no Theatro São Pedro, em Porto Alegre (RS). A expectativa de público é de 355 mil pessoas. De acordo com o diretor de Comunicação Externa, Assuntos Regulatórios e Corporativos da Lactalis do Brasil, Guilherme Portella, a ideia é aproveitar a Expointer para promover uma maior aproximação com os agricultores. "Temos cerca de 8 mil produtores rurais parceiros no Rio Grande do Sul que fornecem quase um bilhão de litros de leite por ano para a empresa. Queremos abrir a nossa casa na Expointer para que seja a extensão da própria casa deles, possam consumir os produtos gerados a partir do seu próprio leite e tenham a oportunidade de maior aprimoramento técnico com foco no aumento da produtividade e qualidade", afirmou. Durante a feira, a Lactalis do Brasil vai oferecer palestras técnicas com professores, que vão abordar assuntos como produtividade e matéria-prima. Além disso, a empresa vai promover uma degustação de produtos lácteos no seu estande. Promovida pelo governo do RS, a Expointer mostra em primeira mão as novidades da agropecuária mundial. A expectativa deste ano dos organizadores é repetir os números de 2016, quando o volume de negócios alcançou R$ 1,92 bilhão. (Página Rural)

Sindilat

Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados
do Estado do Rio Grande do Sul

Contato

Av. Mauá - n° 2011 - Sala 505 - Centro
Porto Alegre / RS
CEP 90030-080

Fone: (51) 3211-1111 - Fax: (51) 3028-1529
E-mail: sindilat@sindilat.com.br

Newsletter

Nome
E-mail
Estou ciente que receberei as newsletter da Sindilat/RS
Back to top